Siga-me

SLIDES

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Que Venha o 2012

Como todas as coisas neste universo material de Deus tem seu fim, o ano também tem o seu.
Mas para compreendermos melhor esta mudança, vamos a um detalhe importante: nos acostumamos a relacionar o tempo ao movimento da massa dos corpos (passagem do movimento das coisas, giro da terra em torno de si mesma, em torno do sol, etc.). Isto nos leva a considerar o tempo como sendo linear: passado, presente e futuro.
Contudo, observando a natureza sem preconceitos, percebemos que nela o tempo é algo cíclico. Tudo volta a ser novamente, mas num grau de amplitude maior no sentido de evolução individual e coletiva. 
É neste sentido de tempo cíclico que se pode falar de 2012 e não como período de destruição e fim de mundo. Finda um ciclo e começa outro.
Toda nossa vida é cheia de ciclos: o ciclo do nascimento à idade avançada, ciclo anual, ciclo das atividades e assim por diante. É a forma que temos para produzir e participar das mudanças tão necessárias à nossa evolução material ou espiritual.
Além do mais, como já escrevi uma vez por aqui, o ser humano gosta, ou talvez até tenha alguma necessidade psicológica no que concerne a ritos de passagem: chá de bebê, chá de panela, despedida de solteiro, festa dos quinze anos, e entre tantos outros o reveillon, que marca a passagem de um ano para outro.
Tirando fora todas aquelas crenças que não fazem parte de nossa vida espiritual cristã, embora devamos respeitar que os pagãos o façam, pois elas fazem parte da cultura popular de vários povos, como pulinhos de ondas no mar, numerologia, comer baguinhos de romãs entre tantas outras práticas afins, o Cristão pode sim festejar a passagem do ano novo.
O Cristão pode sim festejar a entrada de um novo ano, desde que ele se mantenha na sobriedade típica dos Filhos de Deus. Isto significa que seu festejo vai diferir radicalmente daquele propagado pelas pessoas mundanas.
Para o Cristão não importa o número final do ano que se inicia, a cor da roupa íntima que será usada na passagem, os determinados alimentos que produzem sorte, e muito menos as famosas previsões de fim de ano. O que vai contar mesmo é o grau de plenitude de Amor cultivado em seu coração, que transbordará nesta passagem aos que o rodeiam.
A pessoa pode até usar algo simbólico, a roupa externa branca simbolizando a Paz, uma estampa na camisa com dizeres positivos, mas desde que isto não seja feito como ação supersticiosa, no sentido de que se não for usado trará má sorte.
Vou festejar a passagem do ano, de repente tomar uma taça de champanhe com a família e os amigos mais íntimos. Não importa os símbolos externos que poderei usar. O que importa mesmo é manter a Presença de Deus em meu coração mediante a ação do seu Espírito.
Que este Ano que se inicia seja mais um Ano da Graça do Senhor para mim e para todos os meus Amigos e Irmãos em Cristo. Amém!
Feliz 2012! O Ano Novo no Senhor para todos os Seus Filhos!

N'Ele, em quem EU SOU!
Eugênio Christi
Mais...

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

MEU SERMÃO DE NATAL

Novamente chegamos na época natalina. Assim sendo a correria aumenta por causa da preparação das festas, das compras de presentes, viagens, guerras de marketing e tutti quanti. Mas... o aniversariante da festa está cada vez mais esquecido. Este ano mais esquecido que no anterior.
É bem verdade que as pessoas ficam mais sensíveis e reflexivas neste período, eu concordo. Contudo, o capitalismo selvagem consegue estragar até mesmo este lampejo de lucidez com as correrias das compras. Pois é, o bolso, que afirmo ser a parte mais sensível do "corpo" humano, também reclama atenção: acaba se esvaziando bem mais nesta época. E no final de tudo percebe-se que muitos esvaziaram com ele também o coração.
Mas eu sempre digo às pessoas que tudo em nossa vida deve ser feito levando-se em consideração seu verdadeiro sentido. Caso contrário, não passamos de um peso morto para o mundo carregar.
Assim sendo, qual o verdadeiro sentido do Natal?
Ele é mesmo importante para nós?
Nos traz algum benefício verdadeiro?
Num primeiro momento, Natal nada mais é que a lembrança de que Jesus Cristo, Deus de Eternidades, se encarnou entre nós assumindo nossa condição humana, se fazendo um de nós para nos mostrar o Caminho de volta para a casa. É Deus se fazendo homem para que o homem participe da Divindade de Deus.
E Cristo pode nascer mil vezes em Belém, mas se não nascer uma vez em seu coração, o Natal será apenas mais uma festa pagã.
Mas não esqueçamos, a Bíblia não é um simples livro de eventos históricos e sim um livro eivado de Princípios Espirituais. E as coisas espirituais devem ser discernidas espiritualmente, nos ensinou o Apóstolo Paulo.
Apresso-me a dizer que não vejo o Natal simplesmente como um momento de lembrança de um acontecimento passado. Muito pelo contrário, é um momento de prepararmos a manjedoura de nosso coração para que o Cristo nele venha fazer Sua morada.
Pois, "um menino nos nasceu, um filho nos foi dado; a soberania repousa sobre seus ombros, e Ele se chama: Conselheiro admirável, Deus forte, Pai eterno, Príncipe da paz" (Is 9, 5). Ou seja, o maior Dom que Nosso Pai poderia ter nos concedido.
E para que este Cristo menino nasça em nosso coração, mister se faz uma Alma virgem, isto é, livre dos apegos materiais e das paixões excessivas. Também é preciso uma manjedoura, ou seja, um ambiente interior de humildade e livre de arrogância, sem apegos materiais e capitalistas. Os animais, simbolizando nossos instintos, nossa natureza emotiva e nossa força fisica se demonstram submissos ao Cristo que nasce.
Os Magos, a elite espiritual e mental da época prestam-lhe homenagem e distribuem presentes.
Herodes quer matá-lo, significando que os poderes do mundo não querem deixar que a Consciência Crística se desenvolva nos homens.
E como podemos discernir o sentido espiritual da Encarnação do Verbo de Deus entre os homens?
Cristo é formado em nós. Esta criança, o Conselheiro admirável, Deus forte, Pai eterno, Príncipe da paz, como nos professou Isaías, deve ser cuidado em nós como uma mãe cuida de um recém nascido, até que atinja maioridade e tome as rédeas de todas as coisas que a Ele pertencem.
A partir desta ótica podemos dizer que esta é a verdadeira preparação do Natal: preparar nossa casa (o coração) e nela instalar a manjedoura (um nicho simples, despojado de toda pujança material e orgulho), deixando que no silêncio e recolhimento interior (a Noite silenciosa) Cristo nasça em nós como cumprimento da promessa divina. E todo o universo, tanto na sua dimensão espiritual (os Anjos, a Estrela) quanto na sua dimensão material (os Reis Magos, os pastores) vem para servir o Príncipe recém nascido.
E reitero que não vejo o Natal simplesmente como um momento de lembrança de um acontecimento passado. Muito pelo contrário, é um momento de prepararmos a manjedoura de nosso coração para que o Cristo nele venha fazer Sua morada.
E novamente repito: Cristo pode nascer mil vezes em Belém, mas se não nascer uma vez em seu coração, o Mistério da Encarnação não fará sentido algum para você.
Neste sentido, e somente neste sentido, desejo a você um Feliz e Abençoado Natal.
N'Ele, em quem EU SOU!
Eugênio Christi
Mais...

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

O Tempo Já Não é o Mesmo

Como alguns assuntos sempre voltam à tona no mundo virtual da Net, resolvi resgatar um Post do passado, de um outro Blog que tinha.
Já é lugar comum as pessoas dizerem que o “tempo anda corrido”.
Antes eu pensava que este era um fenômeno apenas psicológico, devido ao fato da idade ir aumentando.
Mas eu me lembro também que quando criança, os idosos diziam que quanto mais velhos em idade ficavam mais o tempo demorava a passar. Estranho isto. Será que é porque tinham pouca coisa a fazer e a sensação de passagem do tempo tem a ver com nossa movimentação diária?
A questão é que para quem espera um momento agradável chegar um minuto se torna uma hora; e para quem já está num momento agradável uma hora se torna um minuto.
Mas o fato é que vinte horas hoje estão equivalendo a dezesseis de uns dez anos atrás, dizem alguns cientistas que estudam o fenômeno. Eu penso que isto eles dizem em relação à sensação da passagem do tempo e não ao próprio tempo em si. Pois, embora ninguém possa negar que o tempo esteja passando muito rápido, também não pode negar que as horas do relógio continuam as mesmas.
O físico alemão W.O. Schumann constatou em 1952 que a Terra é cercada por um campo eletromagnético poderoso que se forma entre o solo e a parte inferior da ionosfera, cerca de 100 km acima de nós. Esse campo possui uma ressonância (dai chamar-se ressonância Schumann), mais ou menos constante, da ordem de 7,83 pulsações por segundo. Funciona como uma espécie de marca-passo, responsável pelo equilíbrio da biosfera, condição comum de todas as formas de vida.
Mas o interessante é que o nosso cérebro também tem uma freqüência de 7,83 hertz. Ou seja, não podemos ser saudáveis fora dessa freqüência biológica natural. Sempre que os astronautas, em razão das viagens espaciais ficavam fora da ressonância Schumann, adoeciam. Mas submetidos à ação de um simulador Schumann recuperavam o equilíbrio e a saúde.
Por milhares de anos a Terra tinha essa freqüência de pulsações e a vida se desenrolava em relativo equilíbrio ecológico.
Ocorre que a partir dos anos 80, e de forma mais acentuada a partir dos anos 90, a freqüência passou de 7,83 para 11 e para 13 hertz por segundo. É como se o coração da Terra tivesse disparado. Coincidentemente, desequilíbrios ecológicos se fizeram sentir: perturbações climáticas, maior atividade dos vulcões, crescimento de tensões e conflitos no mundo e aumento geral de comportamentos desviantes nas pessoas, entre outros. Devido à aceleração geral, a jornada de 24 horas, na verdade, é somente de 16 horas. Portanto, a percepção de que tudo está passando rápido demais não é ilusória, mas teria base real nesse transtorno da ressonância Schumann.
Mas ainda resta a questão: as horas do relógio continuam as mesmas. Como explicar este fenômeno? Vamos aguardar as explicações científicas.
Mas enfim, o que tudo isto tem a ver com os assuntos tratados aqui no Blog?
É que por incrível que pareça, tudo isto faz parte de uma profecia bíblica. Eu recebi este ensinamento há sete anos atrás de um monge ortodoxo. Ora, está escrito que "Se aqueles dias não fossem abreviados, criatura alguma escaparia; mas por causa dos escolhidos, aqueles dias serão abreviados" (Mt 24,22).
Isto requer reflexão. O número de dias serão abreviados ou os dias serão abreviados em horas? Se for o segundo caso, já estamos vivendo esta profecia bíblica. Mas não há motivos para pânico. O que realmente importa é vivermos o Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo, o que passar daí é coisa passageira, e o que é passageiro, o próprio nome já o diz: passa!


N'Ele, em quem EU SOU!
Eugênio Christi
Mais...

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Lula Não Combina Mais com o SUS

EIS A MELHOR RESPOSTA SOBRE LULA E SUA SAÚDE


"Esperava-se uma comoção nacional"

Não há notícias de romeiros chegando a São Bernardo do Campo. Não espoucaram novenas nas missas dominicais e nem romarias aos santuários populares. Nem mesmo a tag "Força Lula" decolou no twitter, mesmo disseminada por políticos de primeira grandeza e por jornalistas e blogueiros chapa-branca.
Nem mesmo o papa mandou uma carta, mas apenas um recado educado de pleno restabelecimento através do embaixador.
Ao contrário: a exigência nas redes sociais que não podem ser censuradas por uma imprensa cínica foi que Lula seja tratado como um comum mortal, agora ainda mais mortal, recebendo o seu tratamento em algum hospital do SUS, onde, segundo ele, " a saúde é quase perfeita" ou em alguma UPA tão fantástica que"até da vontade de ficar doente para usar".
O clamor foi tão grande que a imprensa reagiu, tratando o fato como covardia, desumanidade, insanidade, creditando tais manifestações aos instintos mais selvagens de uma minoria de trogloditas virtuais. Censurou as manifestações e deu espaço apenas para a análises comportamentais equivocadas.
A verdade tirada do episódio é que Lula não é a unanimidade que pregam. Também é verdade que Lula está pagando o preço da sua gabolice e arrogância ao fazer afirmações mentirosas sobre a Saúde no Brasil, verbalizadas na forma de tiradas de efeito para obter dividendos políticos e eleitorais.
Mais verdade ainda é que a imprensa e a militância petista esperavam e desejavam uma comoção nacional. Ela não houve e talvez a maioria silenciosa até concorde com os que se manifestam pelo tratamento de Lula no SUS, sintetizando nesta metáfora a revolta contra o político e também contra o homem que sempre usou a aura de pobrezinho para tornar-se um dos mais ricos homens públicos do Brasil.
A verdade, a grande e inquestionável verdade, é que Lula está tendo um caríssimo tratamento pago pelos contribuintes cancerosos anônimos que esperam mais de 70 dias por quimioterapia e mais de 120 dias por radioterapia nas filas do SUS. Sabe o que é revoltante? É ver uma imensa junta médica dizendo que Lula vai se salvar porque houve um rápido diagnóstico e o tratamento começou imediatamente.
É contra isso que as pessoas estão revoltadas, por ver o pretenso pai dos pobres ser tratado como um imperador.
Esperava-se uma comoção nacional. Há motivos para que ela não tenha ocorrido, por mais que colunistas, blogueiros e jornalistas não aceitem investigar com isenção e sem preconceitos os motivos que despertaram este sentimento de justiça e de igualdade expresso por boa parte da população brasileira.
É mais fácil censurar e ficar perplexo ante a "maldade" de certas pessoas do que investigar o que existe por detrás deste desejo de que Lula tenha um tratamento isonômico para o seu câncer, igual ao de um Silva qualquer.
As pessoas não estão sendo más. Elas estão sendo apenas justas nesta país cada vez mais injusto."
José Geraldo Sonvens


N'Ele, em quem EU SOU!
Eugênio Christi
Mais...

domingo, 16 de outubro de 2011

2020: A EXTINÇÃO DOS PROFESSORES

O ano é 2020 D.C. - ou seja, daqui a nove anos - e uma conversa entre avô e neto tem início a partir da seguinte interpelação: 
– Vovô, por que o mundo está acabando?
A calma da pergunta revela a inocência da alma infante. E no mesmo tom vem a resposta:
– Porque não existem mais PROFESSORES, meu anjo.
– Professores? Mas o que é isso? O que fazia um professor?
O senhor responde, então, que professores eram homens e mulheres elegantes e dedicados, que se expressavam sempre de maneira muito culta e que, muitos anos atrás, transmitiam conhecimentos e ensinavam as pessoas a ler, falar, escrever, se comportar, localizar-se no mundo e na história, entre muitas  outras coisas. Principalmente, ensinavam as pessoas a pensar.
– Eles ensinavam tudo isso? Mas eles eram sábios?
– Sim, ensinavam, mas não eram todos sábios. Apenas alguns, os grandes professores, que ensinavam outros professores, e eram amados pelos alunos.
– E como foi que eles desapareceram, vovô?
– Ah, foi tudo parte de um plano secreto e genial, que foi executado aos poucos por alguns vilões da sociedade. O vovô não se lembra direito do que veio primeiro, mas sem dúvida, os “politiqueiros” ajudaram muito. Eles acabaram com todas as formas de avaliação dos alunos, apenas para mostrar estatísticas de aprovação. Assim, sabendo ou não sabendo alguma coisa, os alunos eram aprovados. Isso liquidou o estímulo para o estudo e apenas os alunos mais interessados conseguiam aprender alguma coisa.
Depois, muitas famílias estimularam a falta de respeito pelos professores, que passaram a ser vistos como empregados de seus filhos. Estes foram ensinados a dizer “eu estou pagando e você tem que me ensinar”, ou “para que estudar se meu pai não estudou e ganha muito mais do que você” ou ainda “meu pai    me dá mais de mesada do que você ganha”. Isso quando não iam os próprios pais gritar com os professores nas escolas. Para isso muito ajudou a multiplicação de escolas particulares, as quais, algumas mais interessadas nas mensalidades que na qualidade do ensino, quando recebiam reclamações dos pais, pressionavam os professores, dizendo que eles não estavam conseguindo “gerenciar a relação com o aluno”.
O professores eram vítimas da violência – física, verbal e moral – que lhes era destinada por pobres e ricos. Viraram saco de pancadas de todo mundo.  
Além disso, qualquer proposta de ensino sério e inovador sempre esbarrava na obsessão dos pais com a aprovação do filho no vestibular, para qualquer faculdade que fosse. “Ah, eu quero saber se isso que vocês estão ensinando vai fazer meu filho passar no vestibular”, diziam os pais nas reuniões com as escolas. E   assim, praticamente todo o ensino foi orientado para os alunos passarem no vestibular. Lá se foi toda a aprendizagem de conceitos, as discussões de idéias, tudo, enfim, virou decoração de fórmulas. Com a Internet, os trabalhos escolares e as fórmulas ficaram acessíveis a todos, e nunca mais ninguém precisou ir à  escola para estudar a sério.
Em seguida, os professores foram desmoralizados. Seus salários foram gradativamente sendo esquecidos e ninguém mais queria se dedicar à profissão. Quando alguém criticava a qualidade do ensino, sempre vinha alguém dizer que a culpa era do professor. As pessoas também se tornaram descrentes da      educação, pois viam que as pessoas “bem sucedidas” eram políticos e empresários que os financiavam, modelos, jogadores de futebol, artistas de novelas da televisão – enfim, pessoas sem nenhuma contribuição REAL para a sociedade. (Fim do Texto)
Agora, eu, Eugênio Christi, faço a seguinte pergunta: este texto está dizendo alguma mentira? Ou ainda: alguém tem alguma dúvida de que este futuro está sendo construído agora?
Quando o conhecimento e a educação viraram artigos do capitalismo selvagem, nossa sociedade começou a declinar com mais rapidez.


Não perca a oportunidade de ler este livro:
  
N'Ele, em quem EU SOU!
Eugênio Christi

PS: Recebi este texto de uma amiga no Face, que recebeu de outra amiga; assim sendo, lamentavelmente não posso dar o crédito da autoria do texto. Se alguém souber o autor do mesmo, favor me comunicar. Grato!
Mais...

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Pérolas de Um Hippie de Jesus

Depois de muito tempo sem postar nada, por estar envolvido com a divulgação do meu novo livro, resolvi postar esta Pérola de Sabedoria do meu Irmão em Cristo João Bolão (que conheci nos Orkuts da Vida, hehehe). Ele é um daqueles hippies de Jesus que sabe viver bem a Vida e de vez em sempre se dá como bom Filósofo. Apreciem este texto que um dia ele deixou em meu orkut.
Um dia desses que já era noite... pela madruga que já era quase dia de novo... eu estava escutando rádio sentado na varanda e observando atentamente o nada... a escuridão... pensando na vida... quando do nada surgiu vindo lá de longe um camundongozinho... cara... na hora pensei comigo... pronto... ganhei a noite... arrumei um amigo pra me distrair... comecei a seguir o mickey e observar suas andanças... e em um determinado momento ele entrou num armário que fica na área atrás de casa... onde guardo coisas velhas da moto... ferramentas... essas coisas... eu fui até a cozinha rapidamente pra buscar um pedaço de linguiça para servir de janta ao meu amigo mickey que veio me visitar... minha mãe sempre me ensinou a tratar bem as visitas... mas comecei a procurá-lo e não mais o encontrei... revirei o armário todo cara... mas eu achei um velho relógio de pulso que ganhei do meu pai lá na minha infância... estava parado... na hora me vieram a mente as saudades do velho... e ao rosto vieram as lágrimas de saudade... que amigão cara... que amigão... pela manhã a primeira coisa que fiz foi levá-lo a um amigo lá na praça central que tem uma relojoaria e pedir para ele consertá-lo... me avisou que ia demorar... então como já estou rico por não sentir falta de nada... resolvi enforcar a manhã de serviço... trabalho por conta mesmo... por isso que vivo duro... kkkk ...me sentei na praça e fiquei observando o movimento... as pessoas em seu ritmo impressionante... nisso veio passando o Sérgio... um amigo de infância... hoje dono de uma rede de lojas na região... ele tem um escritório aqui no centro... eu o cumprimentei e o chamei pra papear... não posso bolão... o tempo tá corrido... outra hora... depois que virou gente fina... nunca mais a gente parou um segundo pra papear... então eu fiquei ali na praça esperando pelo conserto e só observando a correria das pessoas e volta e meia papeando com algum conhecido... mas naquela manhã o que mais me chamou a atenção foi a correria do Sérgio... passava pra lá e pra cá... sempre apressado... passos largos... que loucura cara... então o meu amigo da relojoaria me chamou... me entregou o relógio prontinho... funcionando e eu vim pra casa... mas na saída... antes de subir na moto... passou por mim o Sérgio... tais ainda aí bolão... vamos correr atrás da máquina ainda brincou... e se despediu na pressa... eu vim pra casa pensando e admirando o velho relógio... o ponteiro mais gordinho... fica ali... devagar... demooora pra dar um giro... uma calma... uma paciência enorme... já o fino é uma correria danada... tá sempre com pressa... ele passa pelo gordinho o tempo todo... parece dar uma cumprimentada e já segue o seu ritmo... sabe cara... cada um vive no ritmo que desejar... mas pode ter certeza.... estamos todos presos a um mesmo ponto... a vida... e em torno dela nós giramos... seja o gordinho vadio... seja o gente fina... o que não percebemos é que no tempo eterno... o ciclo se repete como um relógio... um depende do outro pra "funcionar"... paz e amor!
N'Ele, em quem EU SOU!
Eugênio Christi
Mais...

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

NÃO LEIA ESTE LIVRO!

Se você deseja que sua vida continue como está, mesmo ela sendo boa e podendo melhorar, não leia o livro que apresentarei aqui em hipótese alguma. Porque é certo e verdadeiro: é praticamente impossível a pessoa ler este livro sem se ver impelida à mudança.
O livro O Poder Espiritual da Sua Mente traz novos insights sobre como desenvolver o potencial latente em cada ser humano. A Mente em si não é o poder, mas é o estopim, o gatilho que aciona o verdadeiro poder interior do Ser, que é o Espírito presente em seu âmago. É um livro direcionado basicamente a todos que buscam seu Crescimento, tanto espiritual quanto material, ao mesmo tempo em que buscam contribuir com o crescimento dos que estão ao seu redor.

Neste livro é compartilhado o Conhecimento de que existe um poder latente no Ser Humano, adormecido, esperando acesso. É possível a qualquer pessoa ter acesso a este poder, desde que conheça o Manual do Fabricante do Homem. Desde que conheça os princípios metafísicos e aprenda a colocá-los em prática.
Mas enfim, o que este livro tem de diferente de todos os outros do gênero?
Ora, nós sabemos que todos os homens buscam a Vida em Plenitude.
Tem aqueles que buscam este tipo de Vida apenas usando o esforço humano físico, ganhando o pão com “o suor de seu rosto”, e quando conseguem êxito, se conseguem, já estão no final de sua estadia na terra e sem condições saudáveis para usufruir o que conseguiram.
Outros usam a astúcia e o raciocínio, aplicando todo tipo de artimanhas para obterem sucesso à custa dos outros, esquecendo que a Ética é um dos basilares Princípios Universais do Espírito.
Outros ainda usam o poder mental através de algum método de desenvolvimento próprio, obtendo êxito em muitos casos. Contudo, na maioria das vezes o preço a ser pago pelo uso destes métodos é o abalo da saúde psíquica e mental.
Alguns, e o número destes aumenta a cada dia que passa, estão descobrindo a existência do Poder do Espírito, buscando aprender o método adequado para este uso em algum caminho espiritual existente. No entanto, muitos mentores espirituais estão aproveitando a boa fé das pessoas para mantê-las numa redoma, impedindo-as de pensarem por si mesmas.
Este livro traz novos insights sobre como conhecer e usar o poder latente sem se estar fechado fanaticamente numa seita ou grupo.
Há um livro que causou um frenesi na época de seu lançamento, visto que prometia desvendar O SEGREDO. Para mim tudo não passou de jogada de marketing, pois nele nada foi revelado e tudo ali presente já fazia parte do conteúdo de diversos livros.
Não. Este livro que apresento a você não traz nenhum segredo do universo, que foi escondido durante séculos ou quiçá por milênios por aqueles que queriam manter as pessoas na ignorância. Tanto é que o verdadeiro SEGREDO já foi divulgado desde o início da humanidade. Ele não é segredo porque foi escondido, mas porque está diante de todos e muitos não querem encontrá-lo; é que os humanos não têm o hábito de dar valor às coisas simples, ao que está óbvio diante de seus olhos; estão sempre buscando o tal tesouro perdido; buscando longe aquilo que está bem perto.
O que este livro traz de especial é uma nova visão sobre o relacionamento entre a Mente e o Espírito, com insights que você ainda não encontrou em nenhum outro lugar. Porque se tivermos que dar uma denominação à Era que estamos iniciando, deveremos chamá-la de Era do Espírito.
Existe um poder latente no Ser Humano esperando acesso e é possível a qualquer pessoa ter acesso a este poder. E o conhecimento deste poder passa pela relação estreita que existe entre Corpo, Alma e Espírito.
Leia o livro e descubra!
Obs.: Estamos ainda acertando acordo com a distribuidora para as livrarias. Devido a um impasse, logo estaremos colocando um site no ar só para este livro. Enquanto isto, ele pode ser adquirido aqui mesmo no Blog pelo PagSeguro (acima à direita) ou deixando no comentário abaixo seu nome e seu e-mail que entraremos em contato para a devida aquisição. O preço de promoção é R$20,00 (Vinte), mais R$5,00 (Cinco) da encomenda.
Em nossa cidade está nas livrarias: O Livreiro Livraria (Unifebe e Supermado Archer da Felipe Schimit) e Livraria Saber (Shoping Gracher).
Desde já agradecemos a todos!
N'Ele, em quem EU SOU!
Eugênio Christi
Mais...

terça-feira, 19 de julho de 2011

VIVEMOS NUMA MATRIX

No final do século XX um filme roubou o cenário do cinema mundial. A partir de sua performance no cinema, ele passou a ser assunto de reflexão também nos círculos filosóficos. Neo, o personagem principal, sai da Matrix e é considerado o Escolhido que vai libertar os homens de uma tirania virtual.
O que muita gente não sabe é que os idealizadores deste filme se fundamentaram em idéias filosóficas antigas. Buscaram em Platão, nos gnósticos antigos, na sabedoria do budismo e na filosofia de Descartes a idéia de que o que chamamos de mundo real pode não passar de uma mera ilusão, criada por alguém a fim de nos enganar.
E realmente vivemos numa verdadeira Matrix. Mas esta Matrix não é aquela digital e que contém um mocinho metido a Messias dando golpes de karatê. É a Matrix formada pelos padrões mentais da humanidade e de toda a produção cultural vigente. E o Messias aqui tem que ser você mesmo, e ao invés de artes marciais, o que você tem que aprender a usar é o poder do pensamento.
Há muito o homem vive preso. Muitos tutores, depois de terem embrutecido a imensa maioria da humanidade como se fosse um gado doméstico, para que não ouse dar nenhum passo fora de suas diretrizes, mostram a ela o quão perigoso é tentar andar sozinha.
É isto o que quer ensinar Kant ao dizer que existe uma menoridade racional, uma situação onde um indivíduo qualquer deixa de fazer uso de seu próprio entendimento para unicamente seguir a direção dos outros. A não ser que venha apresentar alguma debilidade mental ou qualquer outra disfunção cerebral, o homem é o próprio culpado dessa menoridade, principalmente devido à falta de coragem de servir-se de si mesmo sem a direção da astúcia alheia. A preguiça e a covardia são as causas pelas quais uma tão grande parte dos homens permanece menor durante toda a vida, esperando que tutores deles tomem conta, ora levando-os até as margens tranqüilas de uma pseudo-segurança, ora levando-os em direção ao matadouro cruel da autodestruição.
Assim sendo, prego com Kant a necessidade do sapere aude, isto é, a necessidade de termos a coragem de fazer uso de nosso próprio entendimento, de tomarmos as rédeas de nosso aperfeiçoamento, assumindo nossa parcela de responsabilidade na saga da evolução. Que a Luz se faça na mente de todos os homens. Porém, nunca sem nenhum esforço. E talvez o maior esforço que possamos fazer em direção à Luz é deixarmos de travar luta contra Ela.
Não obstante, sabemos que a maioria das pessoas ainda por um bom tempo será vítima do medo e da preguiça, deixando-nos diante de uma escolha difícil: ou nos esforçamos por esclarecê-la nem que seja à força, tornando-nos antidemocráticos e acríticos, ou a abandonamos à deriva, correndo o risco de que um dia ela se volte contra nós e nos esmague, pois hoje mais do que nunca a turba é perigosa, visto que o número de seus integrantes aumentou prodigiosamente.
Elevar-se, sair do marasmo da vida, atingir o reino dos gênios e dos homens fortes, eis o grande desafio. A distância que existe entre um Platão, um Newton, um Einstein e o homem comum parece ser bem maior do que a distância entre o homem comum e o gorila. A maioria dos homens não passa de uma mistura de orangotango com astúcia. Aqueles que conseguem ir um pouco além desta mistura vulgar a massa ignara os considera como santos, gênios ou simplesmente demônios. Crucifica-o! Queime-o vivo! Enforque-o! Apedreja-o! Demita-o! São os ecos de desespero dos que ficaram para trás.
Mas aqui cabe uma pergunta crucial: por que tão poucos conseguem se elevar alguns pontos além do que a maioria prescreve?
É que existem dois grandes entraves que se colocam como guardiões das regiões superiores: a preguiça e o medo. Estes são os mais próximos companheiros de jornada do homem comum.
Cada um pode mudar a sua vida a qualquer momento se assim o desejar. Basta coragem, pensamento correto e um pouco daquilo que os iluminados chamam de ideal e os sacerdotes chamam de Fé. Sem Fé nada de bom é feito nesta terra. Mas atentem bem: eu disse fé (confiança/fidelidade ao pensamento unívoco) e não simplesmente crença ou hábito supersticioso. 
Já que pensar é grátis, e ainda por cima não dói, vamos fazer bom uso desta capacidade que o Criador dos Mundos nos concedeu.
Texto retirado de meu livro Pensar Não Dói e é Grátis (Esgotado).

N'Ele, que é Senhor do Pensamento Original, para maior Glória de Deus. Amém, Amém e Amém!
Eugênio Christi
Mais...

terça-feira, 12 de julho de 2011

Deus não é Velho e nem Barbudo

O século XVIII ficou conhecido como o século das Luzes, por causa do enaltecimento da Razão que nele se deu. A partir dele que se tornou direito humano a liberdade de pensamento e expressão. Qualquer pessoa pode expressar sua mais humilde opinião. Contudo, quem expressa sua opinião deve estar ciente de que, pela mesma liberdade de expressão, poderá receber críticas contrárias.
Escrevo isto porque exporei algumas críticas em relação a um assunto um tanto delicado, vamos dizer assim.
De vez em quando eu fico absurdado (um termo que inventei significando “tocado pelo absurdo”) quando ouço algumas ideias que as pessoas tem de Deus. Quando você conversa com algumas pessoas que se consideram Cristãs e que hoje estão filiadas a muitas Igrejas – que nada mais são do que seitas religiosas –, percebe claramente a ideia de Deus que elas tem: um velho barbudo, sisudo, pronto para comandar e para te ferrar caso você faça alguma safadeza.
A ideia que tenho de Deus hoje é bem diferente desta dos tempos de infância.
Quando se fala que Deus é Espírito significa que Ele é a Fonte Inefável de todas as cosias, Inominável, Imperceptível pelos sentidos e sem forma. A Consciência Primordial da qual emana todas as consciências. Um Princípio que rege tudo por meio de Ordem e Leis. E não um boneco barbudo que nada mais é que projeção do modelo paterno que o homem tem; que fica interferindo em todos os assuntos cotidianos.
Mas então qual a relação que há entre este Deus e a humanidade?
Embora Uno, o Homem tem em seu Ser uma divisão tripartida, ou seja, seu Ser é formado por Espírito, Alma e Corpo.
O corpo é a parte mais próxima de nós, a que primeiro conhecemos e sentimos após nosso nascimento neste mundo material.
A Alma é o campo dos pensamentos, dos sentimentos e da parte psíquica da Mente. É o campo do Eu racional, do Eu que decide e que faz.
O Espírito é o poder vivificador, o que dá Vida ao Ser. Podemos dizer que é o EU Maior do homem. Isto equivale a dizer que é o seu Verdadeiro Ser.
Muitas vezes o Espírito é entendido como o alento, o élan vital presente no corpo. Tanto é que em casos de morte, muitos dizem: “fulano deu o último suspiro”. Ele é assim entendido porque tanto no grego como no hebraico antigos, a palavra Espírito também é usada para designar sopro ou vento, além de fôlego.
No princípio formou Deus o homem do barro da terra e soprou em suas narinas, e o homem se tornou uma alma vivente (Gn 2, 7).
Esta simples frase oculta em si conhecimentos profundos sobre o homem, que são revelados àquele que tem olhos para ver e ouvidos para ouvir.
Assim sendo, o Espírito é a centelha divina no Homem. É por meio dele que cada pessoa tem um relacionamento com a Fonte Primordial, com Deus.
A questão é que a maioria dos homens sequer suspeita da existência do Espírito, quanto mais buscar um relacionamento com ele. Este relacionamento se dá melhor por meio da Oração, Contemplação ou Meditação, num clima de silêncio e serenidade.
Deus, a Fonte Primordial se relaciona e cuida do homem?
Sim. Mas não como um diretor de teatro controla seus fantoches. Ele se relaciona e cuida do homem por meio do Espírito, a Consciência Espiritual que nele está.
N'Ele, O Princípio, para sua maior Glória. Amém, Amém e Amém!
Eugênio Christi
Mais...

quarta-feira, 29 de junho de 2011

A METAFÍSICA: ANTÍDOTO CONTRA O MATERIALISMO

Já faz algum tempo que encontrei em uma de minhas leituras, numa revista da qual não me lembro o nome, um artigo no qual alguns cientistas, que para convencerem as pessoas de que não existe nada além da matéria, afirmavam que assim como o fígado secreta a bílis o cérebro secreta o pensamento. Ou seja, nossos pensamentos nada mais seriam que simples ação química de nosso cérebro.
Quanta falta de reflexão e racionalidade sadia!
Certo dia um neuro-cirurgião e um astronauta ateu conversavam.
O astronauta disse: - Vivo lá em cima, no "céu" e nunca vi nenhum Deus!
O neuro-cirurgião respondeu: - Quase todos os dias abro cabeças e nunca vi nenhum pensamento!
Ora, para o conhecimento verdadeiro sobre a realidade espiritual, mister se faz alguns estudos no campo da Metafísica. A Metafísica é uma disciplina filosófica que estuda o SER das coisas, sua essência, ou seja, o que está além do físico.
Todas as coisas que vemos são manifestação do SER destas mesmas coisas. Não vemos a essência das coisas, mas sua manifestação.
O visível procede do invisível.
Eu digo ainda que se as pessoas estudassem um pouco mais de Metafísica, haveria bem menos confusão no âmbito religioso, visto que no meu entender a compreensão espiritual de todas as religiões se dá melhor pelo viés metafísico.
Mas enfim, qual a importância real da Metafísica?
Malgrado o nome que se possa dar a este estudo, o que se pesquisa é o fundamento da realidade, seja ela humana, da natureza ou do social.
Ora, a física também busca o fundamento da realidade. Estudamos a força. Mas alguém algum dia viu a força? Vemos o seu efeito, mas não a força. No entanto, Newton estabeleceu uma fórmula para que ela fosse medida e assim trabalhada. Mas existe muito mais no real que ainda não pode ser medido e manipulado. Todavia existe.
A realidade está perdendo a necessidade de ser caracteristicamente tão palpável, tão concreta, a fim de continuar sendo considerada realidade.
Hoje a tecnologia nos proporciona um melhor entendimento do poder da Metafísica. Artigos não físicos como informação, fibras óticas, softwares, o mundo da Web, todos estes artigos quase sem “corpo físico” estão rapidamente se tornando artigos de prosperidade. Podemos ver que o computador experimentou ainda um crescimento exponencial em poder e capacidade. Quanto menor o microchip, mais informações armazenadas, mais poderoso se torna o computador.
Isto tudo leva as pessoas a aceitarem a metafísica com mais facilidade, e a entenderem melhor quando se fala no assunto. Estas noções funcionam como metáforas que auxiliam o homem a entender sua realidade, principalmente sua dimensão espiritual.  
Respeito quem nega a realidade metafísica, contudo, penso que quem a nega faz como aquele ignorante que ao apontar o dedo para a lua, ao invés de admirar a real beleza de nosso satélite natural, fica apenas admirando a beleza do próprio dedo.
N'Ele, que não deixa de ser Essência Metafísica, para maior Glória de Deus. Amém, Amém e Amém!
Eugênio Christi
Mais...

terça-feira, 21 de junho de 2011

A PRAGA DO FUNDAMENTALISMO

Fiquei um bom tempo sem postar nada. É que estive envolvido num processo de enviar meu novo livro - O Poder Espiritual da sua Mente - para a editora. Agora o livro já está no prelo e logo vocês poderão ler um livro diferente do ramo da Autoajuda.
Além do mais estava refletindo bastante sobre os últimos acontecimentos. As últimas reflexões que fiz se trataram principalmente do Fundamentalismo religioso que aumenta a cada dia que passa. É lugar comum as pessoas falarem do fundamentalismo islâmico. Contudo, penso que nenhum caminho religioso organizado dos dias de hoje escapa deste mal. Os Cristãos sempre se mostraram também fundamentalistas.
Fundamentalismo, em sentido estrito, significa seguir os fundamentos de algo. Todavia, em sentido mais amplo, significa seguir e defender uma ideia ou caminho como sendo a única opção para si e para os outros. O Fundamentalismo não aceita concorrência, principalmente o religioso.
Assim sendo, resolvi colocar abaixo os princípios do Bom Senso que todos trazem dentro de si, embora os deixam relegados às traças.

Em Verdade em Verdade vos digo:
Saiba cada um que não existe Religião, Denominação, Tribo, Raça e Cor que mereça servir de separação entre nós! O que nos une é o Espírito que recebemos de nosso Pai. Amar a Deus acima de todas as coisas e ao próximo como a si mesmo! Nossa Religião deve ser o Pai Eterno, nossa Denominação a Fraternidade, nossa Tribo Comunhão, nossa Raça, a Divina e nossa Cor o Amor.

Agora eu pergunto: alguém necessita algo mais além disto para ser uma pessoa espiritualizada?
A resposta é óbvia e só não aceita quem não quer!

N'Ele, o Fundamento de nossa União, para maior Glória de Deus. Amém, Amém e Amém!
Eugênio Christi
Mais...

sexta-feira, 3 de junho de 2011

O EXEMPLO VIVO DO JAPÃO

DEZ COISAS A SEREM APRENDIDAS COM O JAPÃO*

1 – A CALMA
Nenhuma imagem de gente se lamentando, gritando e reclamando que “havia perdido tudo”. A tristeza por si só já bastava.

2 – A DIGNIDADE
Filas disciplinadas para água e comida. Nenhuma palavra dura e nenhum gesto de desagravo.

3 – A HABILIDADE
Arquitetos fantásticos, por exemplo. Os prédios balançaram, mas não caíram.

4 – A SOLIDARIEDADE
As pessoas compravam somente o que realmente necessitavam no momento. Assim todos poderiam comprar alguma coisa.

5 – A ORDEM
Nenhum saque a lojas. Sem buzinaço e tráfego pesado nas estradas. Apenas compreensão.

6 – O SACRIFÍCIO
Cinquenta trabalhadores ficaram para bombear água do mar para os reatores da usina de Fukushima. Como poderão ser recompensados?

7 – A TERNURA
Os restaurantes cortaram pela metade seus preços. Caixas eletrônicos deixados sem qualquer tipo de vigilância. Os fortes cuidavam dos fracos.

8 – O TREINAMENTO
Velhos e jovens, todos sabiam o que fazer e fizeram exatamente o que lhes foi ensinado.

9 – A IMPRENSA
Mostraram enorme discrição nos boletins de notícias. Nada de reportagens sensacionalistas com repórteres imbecis. Apenas calmas reportagens dos fatos.

10 – A CONSCIÊNCIA
Quando a energia acabava em uma loja, as pessoas recolocavam as mercadorias nas prateleiras e saiam calmamente.

NENHUM ARRASTÃO, CONTRA O POVO ou PARA ROUBAR O COMÉRCIO
*Retirado do Blog: http://gloria-expansaodaconsciencia.blogspot.com

Tudo isto tenho dito diante de Deus, dos Homens e dos Anjos, para maior Glória de Deus. Amém, Amém e Amém!
Eugênio Christi
Mais...

domingo, 29 de maio de 2011

PROJETO HAARP: O VILÃO DA VEZ

Existe muita celeuma que percorre os canais da Internet em torno da acusação de que os Estados Unidos provocou o recente terremoto no Japão. A maioria dos acusadores faz parte ou dos esquisotéricos ou dos paranóicos da Teoria da Conspiração.
Mas enfim, como os EUA podiam causar tamanha catástrofe? As acusações apontam para o projeto HAARP.
Vamos avaliar este projeto com bastante cautela, equilíbrio e principalmente neutralidade. Todos nós sabemos que os Estados Unidos é um país dedicado às pesquisas e por isto tem vários cientistas consagrados pelo “Prêmio Nobel”.
O projeto HAARP é uma pesquisa norteamericana buscando amenizar os efeitos que impedem o melhor desempenho em nossas comunicações.
Vamos dizer que as pesquisas sobre o comportamento das ondas eletromagnéticas na atmosfera têm um valor imenso na construção de equipamentos de comunicação.
As ondas de baixa frequência são refletidas pela camada mais alta da atmosfera denominada Ionosfera (ondas longas, médias e curtas). Por outro lado, as ondas de frequência elevadas não são refletidas por esta camada, conseguindo sair do planeta (ondas denominadas microondas VHF de TV, UHF de TV e celular, ondas-luz em gigahertz de radiotelescópios).
As ondas de baixa frequência ficam presas ao planeta e por isto são absorvidas pela Terra de tal modo que a energia emitida é perdida exigindo possantes transmissores.
Também é sabido que quanto maior for a frequência menor pode ser a potência. No caso do projeto HAARP a frequência é muito alta e também a potência, tornando essa estação de irradiação muito poderosa. Nas proximidades da antena de certos transmissores a radiofrequência é tão grande que pode ascender lâmpadas sem fio, ou mesmo queimar ou cegar pessoas.
Segundo o pesquisador internauta Mauro Dias*, são vários os argumentos para não considerar o projeto HAARP como arma. Achei tão interessante os dados encontrados em sua pesquisa, q achei por bem passa-los a quem interessar:
1. A Mídia está sempre afirmando que um terremoto de 8.0 na escala Richter é movido por uma energia colossal equivalente a milhares de bombas atômicas. Portanto a afirmativa que o projeto HAARP seja uma arma parece ser um absurdo. Esse transmissor fica no Alaska, uma distância muito grande do Japão para chegar com a potência de milhares de bombas atômicas, A energia empregada no local da transmissão seria tão grande que causaria danos ao próprio local, atingido as diversas formas de vida do lugar. Além disso, o projeto HAARP funciona com microondas que não conseguem fazer a curva da Terra a ponto de atingir locais distantes, ficando essa energia poderosa perdida pelo espaço cósmico. Se usasse frequência baixa, conseguiria atingir todo o mundo, porém a energia necessária seria maior que toda energia utilizada em vários países e essas ondas não conseguem o efeito desejado.
2. A energia aplicada a um alvo com efeito destruidor é um fenômeno físico que não obedece aos limites políticos dos países. Uma suposta emissão contra qualquer país atingiria outros países vizinhos. Também os efeitos poderiam retornar para o país agressor. No caso do Japão o vazamento de radioatividade poderia trazer danos para o próprio Estados Unidos. Além disso, se um terremoto pudesse ser provocado propositalmente num determinado local, causaria um desequilíbrio de forças telúricas com conseqüência imprevisíveis atingindo o próprio agressor ou mesmo outras áreas de seu interesse comercial, político e estratégico.
3. Sob o ponto de vista político, o Japão é hoje um país protegido pelos Estados Unidos conforme tratado de rendição no fim da Segunda Grande Guerra.
4. Na corrida armamentista os russos e chineses estão de alerta. A Rússia tem tecnologia para desenvolver projeto semelhante e por que somente os Estados Unidos têm este poder? Por que somente os Estados Unidos é sempre o único perigo?
Eu acrescento o seguinte: sabemos que todas as pessoas têm o direito de opinião e crença. Mas informações acusatórias deste tipo não podem ser passadas adiante com leviandade. A Ética deve ser um princípio basilar nestes tempos de rápida evolução humana. Quantas pessoas acabaram passando esta informação como a única verdade sobre o assunto, sem ao menos ter refletido nas consequências disto?
É possível que o projeto HAARP seja também uma pesquisa com objetivo bélico, mas pelo que tudo indica não o de ser uma arma para causar terremotos. Esperemos e além de tudo estudemos, pesquisemos e, principalmente, reflitamos.
*O texto do citado internauta está no Portal Pegasus.

Tudo isto tenho dito diante de Deus, dos Homens e dos Anjos, para maior Glória de Deus. Amém, Amém e Amém!
Eugênio Christi
Mais...

quarta-feira, 18 de maio de 2011

SIGAMOS O MESTRE IGNORANTE

Depois que tivemos um Presidente semianalfabeto, um esforçado homem – talvez melhor fosse dizer um tinhoso – que lutou energicamente até chegar aonde queria, comprovando erradamente para o mundo que o estudo não é tão necessário assim, surgem novidades no terreno da educação.
Uma destas novidades vem por conta da professora, pedagoga (ou pedaboba) Heloísa Ramos, autora do livro “Por uma vida melhor”, dizendo que um linguista tem o direito de ensinar que falar errado está certo sem que ninguém tente defender o idioma e os estudantes.
Isto é o mesmo que estimular os alunos brasileiros a cultivarem seus erros, levando-os a se estreparem posteriormente em exames escolares e concursos públicos.
Só resta agora um professor de matemática ensinar a tabuada errada. Ora, quatro vezes três é sempre 12, na periferia ou no bairro nobre. Assim sendo, a língua deve ser também tratada de modo mais científico e lógico.
Só mesmo num governo anárquico como o que temos um Ministério da Educação aprova um absurdo desses.
Aliás, o MEC comunicou que não pretende recolher os exemplares distribuídos a 485 mil estudantes, jovens e adultos, pelo Programa Nacional do Livro Didático.
Não poderia fazer diferente mesmo, pois ao chancelar o livro didático que ensina aos brasileiros que falar ou escrever errado está certo, o Ministério da Educação homenageou o ex-presidente Lula: é assim que ele se expressa, sentenciaram.
Será que vamos ter que chupar mais esta manga?
Isto vai ter que parar na Justiça para revertermos o processo de imbecilização de nosso povo.
Curta, recomende este post. Comente abaixo. Distribua este link para seus contatos. Vamos fazer valer o que aprendemos. Não deixemos a anarquia tomar conta de nosso país!

N'Ele, que fez tudo com Ordem e Justiça, para maior Glória de Deus. Amém, Amém e Amém!
Eugênio Christi
Mais...

segunda-feira, 9 de maio de 2011

O Circo de Barack Obama

Depois que atingimos certa maturidade, e depois de passarmos por diversas experiências na vida, achamos por bem não comentar de forma leviana certos acontecimentos, principalmente aqueles que envolvem o destino da humanidade em geral. Por isto que espero vir à tona mais dados e a partir deles fazer uma reflexão filosófica sobre o ocorrido.
Acabamos de ver o circo ridículo comandado por Barack Obama e a "providencial" morte do "terrível e sanguinário" terrorista Osama Bin Laden.
De novo esta novela, de novo esta rede de mentiras!
Bin Laden morreu?
Pode ser que sim, mas é bem provável que não.
Por que digo isto?
Primeiro: com todos os recursos de espionagem a seu dispor, só agora os EUA conseguem encontrar o arquiinimigo da democracia ocidental?
A questão é que Barack Obama estava com o índice de aceitação muito baixo, principalmente numa época de recessão econômica mundial. Com este circo todo montado, o índice dele subiu às alturas. Oh, nosso herói Obama, Oh!
Não podemos esquecer também que a tal “morte” de Bin é uma forma de estimular o terrorismo novamente. Com este renascimento do terror (que por sinal estava bem calmo ultimamente) os norteamericanos poderão seguir seu plano de invasão do Oriente Médio, com a desculpa de que estarão acabando com o “Eixo do Mal”.
Segundo: por que não mostrar o corpo do mais afamado inimigo da América? Nem que seja pelo menos uma fotinha nítida. Não, nada de provas concretas. Agora circula uma foto de Osama assistindo cenas de vídeo, mas ele está de perfil, quase de costas. Ou seja, pode ser qualquer um com barba e turbante.
Em todos os casos, morto ou não, a tal morte (real ou fictícia), tem objetivos escusos que só podemos vislumbrar, mas sem nenhuma certeza da verdade.
Sem contar ainda que todo este circo cheira mais à vingança do que à justiça. Se fosse justiça, o correto não seria um julgamento internacional, com a presença da ONU?
O que o mundo não deve esquecer é que Bin Laden foi financiado nos anos 80 pela CIA, para formar o grupo dos Mujaidim, para lutar contra a invasão russa no Afeganistão, entre outras coisas convenientemente suprimidas. Aconteceu o mesmo com Sadan Hussein. Ambos criados pela CIA.
Às vezes eu me pergunto se o Eixo do Mal não está na América!
 
N'Ele, que é Senhor dos supostos senhores, para maior Glória de Deus. Amém, Amém e Amém!
Eugênio Christi
Mais...

sexta-feira, 29 de abril de 2011

O MILAGRE DE UMA PONTE

Tem certas mensagens que já nos são conhecidas. Geralmente nos são enviadas pelos amigos virtuais para nossa caixa de e-mails. Contudo, de vez em quando é salutar relembrar algumas delas, principalmente aquelas que nos são mais inspiradoras.
Acabei de receber mais uma vez uma mensagem já conhecida. Mas eu acabei lendo-a como se fosse a primeira vez, de tão profunda mensagem que ela transmite. Assim sendo, eu vou compartilhá-la com vocês. 

Dois irmãos que moravam em fazendas vizinhas, separadas apenas por um riacho, entraram em conflito. Foi a primeira grande desavença em toda uma vida de trabalho lado a lado. Mas agora tudo havia mudado. O que começou com um pequeno mal entendido, finalmente explodiu numa troca de palavras ríspidas, seguidas por semanas de total silêncio.
Numa manhã, o irmão mais velho ouviu baterem na sua porta. Ao abri-la, notou um homem com uma caixa de ferramenta de carpinteiro na mão.

- Estou procurando trabalho, disse ele. Talvez você tenha algum serviço para mim.

- Sim, disse o fazendeiro. Claro! Vê aquela fazenda ali, além do riacho? É do meu vizinho. Na realidade do meu irmão mais novo. Nós brigamos e não posso mais suportá-lo. Vê aquela pilha de madeira ali no celeiro? Pois use para construir uma cerca bem alta.

-Acho que entendo a situação, disse o carpinteiro. Mostre-me onde estão a pá e os pregos.

O irmão mais velho entregou o material e foi para a cidade.
O homem ficou ali cortando, medindo, trabalhando o dia inteiro. Quando o fazendeiro chegou, não acreditou no que viu: em vez de cerca, uma ponte foi construída ali, ligando as duas margens do riacho.
Era um belo trabalho, mas o fazendeiro ficou enfurecido e falou:

- Você foi atrevido construindo essa ponte depois de tudo que lhe contei.

Mas as surpresas não pararam aí. Ao olhar novamente para a ponte viu o seu irmão se aproximando de braços abertos. Por um instante permaneceu imóvel do seu lado do rio. O irmão mais novo então falou:

- Você realmente foi muito amigo construindo esta ponte mesmo depois do que eu lhe disse.

De repente, num só impulso, o irmão mais velho correu na direção do outro e abraçaram-se, chorando no meio da ponte.
O carpinteiro que fez o trabalho partiu com sua caixa de ferramentas.

-Espere, fique conosco! Tenho outros trabalhos para você.

E o carpinteiro respondeu:

- Eu adoraria, mas tenho outras pontes a construir...

Já pensou como as coisas seriam mais fáceis se parássemos de construir cercas e muros e passássemos a construir pontes com nossos familiares, amigos e companheiros do trabalho. O que você está esperando? Comece agora!
Não espere pela iniciativa dos outros!!!

Saiba você leitor, que se um dia a gente se magoar por qualquer motivo, sempre haverá uma ponte para nos unir novamente.

N'Ele que é o Tekton, o Carpinteiro da Ponte Eterna, para maior Glória de Deus. Amém, Amém e Amém!
Eugênio Christi
Mais...

ADQUIRA O LIVRO

ADQUIRA O LIVRO

Quem sou eu

Minha foto

Eu Sou autor do livro O Poder Espiritual da Sua Mente. Celebrante de Casamentos. Gosto de partilhar temas inteligentes. Instrutor Espiritual e Motivacional, gosto de ler e escrever. Filósofo, Escritor, Palestrante.
 
2009 Template Costumizavel Slide | Templates e Acessórios