Siga-me

SLIDES

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

O Ano da Graça do Senhor

O ser humano gosta, ou talvez até tenha alguma necessidade psicológica no que concerne a ritos de passagem. São ritos que levam o ser a internalizar o real significado de acontecimentos ou mudanças que ocorrem na vida individual e/ou coletiva. Assim sendo, surgiram alguns ritos de passagem como chá de bebê, chá de panela, despedida de solteiro, festa dos quinze anos, e entre tantos outros o reveillon, que marca a passagem de um ano para outro.
Sem querer despir as pessoas de sua doce ilusão, o Ano Novo nada mais é do que uma data, um dia como outro qualquer, que foi transformado pelos homens num rito de passagem, ou seja, o Ano Novo ficou sendo simplesmente isto: um marco, um diferencial para renovação das energias, dos projetos, um recobrar de ânimos.
Assim sendo, neste clima de passagem enquanto necessidade psicológica humana, não há nada de errado o Cristão festejar a entrada de um novo ano, desde que ele se mantenha na sobriedade típica dos Filhos de Deus. Isto significa que seu festejo vai diferir radicalmente daquele propagado pelas pessoas mundanas. Digo isto por existirem todas aquelas crenças que não fazem parte de nossa vida espiritual cristã, embora devamos respeitar que os pagãos o façam, pois elas fazem parte da cultura popular de vários povos, como pulinhos de ondas no mar, numerologia, comer baguinhos de romãs entre tantas outras práticas afins.
Para o Cristão não importa o número final do ano que se inicia, a cor da roupa íntima que será usada na passagem, os determinados alimentos que produzem sorte, e muito menos as famosas previsões de fim de ano. O que vai contar mesmo é o grau de plenitude de Amor cultivado em seu coração, que transbordará nesta passagem aos que o rodeiam.
A pessoa pode até usar algo simbólico, a roupa externa branca simbolizando a Paz, uma estampa na camisa com dizeres positivos, mas desde que isto não seja feito como ação supersticiosa, no sentido de que se não for usado trará má sorte.
Vou festejar a passagem do ano, de repente tomar uma taça de champanhe com a família e os amigos mais íntimos. Mas antes de tudo isto vou proclamar o Ano que se inicia como o Ano da Graça do Senhor, em que quero estar em união mais estreita com Ele, e que será o Ano de mais serviço no meu Ministério em Seu Nome. Amém!
Feliz Ano Novo no Senhor para todos os Seus Filhos!

N'Ele, que é Senhor de Eternidades, para maior Glória de Deus. Amém, Amém e Amém!
Eugênio Christi
Mais...

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

A Ressaca do Natal

É comum algumas pessoas apresentarem sintomas de ressaca no dia posterior a alguma festa. A alegria e a satisfação da bebida dão lugar a um período depressivo. O Natal não foge a regra. Bebe-se muito, tanto em casa como nas festas sociais.
Contudo, o Natal ainda apresenta outra ressaca: a do vazio interior. Depois dele, para muitos, fica aquela sensação de que tudo permanece o mesmo, e que o marasmo da vida vai continuar.
Fiz minhas observações neste Natal. As pessoas foram às compras. Comprar, comprar e comprar. E comprar. Nunca se comprou tanto. O saldo comercial foi positivo. Muitos corriam para não perder seus produtos, para não ficarem sem o seu... comprar.
Enquanto esperava minha vez numa gráfica para fazer uma impressão, uma senhora sensata puxou conversa. Ao tratarmos deste assunto, ela me disse que as pessoas pareciam malucas, como se este fosse o último Natal de suas vidas. E eu acrescentei que quando as pessoas tratam o Natal como se fosse o último de suas vidas, ele já não tem mais sentido como Natal, visto que em sua essência ele nada mais é que Nascimento ou Renascimento da Luz Divina em nós. Para aqueles que viveram este verdadeiro sentido do Natal, o dia pós-festa é um dia pleno de Graça, pleno de Luz e sentimento de real renovação.
Se o seu foi um Natal verdadeiro, compartilhe em Oração e Ação de Graças com o meu e o Natal de muitos Filhos de Deus. Caso o seu Natal tenha sido só... comprar,  ainda há tempo de rever seus conceitos e começar a viver o verdadeiro sentido do Natal (veja este sentido aqui).

Tudo isto tenho dito N'Ele, que é o Verdadeiro Sentido do Natal, para maior Glória de Deus. Amém, Amém e Amém!
Eugênio Christi
Tags: Natal, Ressaca, Vazio, Renascimento 
Mais...

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Na Manjedoura de Cada Um

Tudo muito corrido. Estressante também. O tempo está passando muito rapidamente e nós igualmente estamos passando de forma rápida com ele. Mas nos foi dito que no fim dos tempos os dias seriam abreviados, ou seja, seriam bem mais curtos.
Rapidamente chegamos a época natalina. Assim sendo a correria aumenta por causa da preparação das festas, das compras de presentes, viagens, guerras de marketing e tutti quanti. Mas... o aniversariante da festa está cada vez mais esquecido.
Muitos evangélicos, principalmente aqueles que entregaram seu cérebro para que um Pastor pense por eles, não comemoram o Natal, considerando-o uma festa pagã. De fato, o dia vinte e cinco de dezembro não é o dia verdadeiro do nascimento de Jesus Cristo entre os homens, pois esta data foi tardiamente escolhida pelos cristãos, e era usada pelos pagãos do reino de Constantino por ser o dia do solstício de inverno, o dia mais longo do ano, com o sol a pico iluminando e renovando a natureza. Não obstante isto, não há problema algum e é bom termos uma data para lembrarmos o evento que foi tão esperado pelos Patriarcas da Antiga Aliança, ou seja, a Encarnação do Verbo Divino nesta terra de exílio, a fim de propiciar a Reconciliação nossa com Deus.
Sim, Natal é justamente isto. É lembrança de que Jesus Cristo, Deus de Eternidades, se encarnou entre nós assumindo nossa pequenez, se fazendo pecado para resgatar os pecadores. É Deus se fazendo homem para que o homem participe da Divindade de Deus.
Mas não esqueçamos, a Bíblia não é um simples livro de eventos históricos e sim um livro eivado de Princípios Espirituais. E as coisas espirituais devem ser discernidas espiritualmente, nos ensinou o Apóstolo Paulo.
Apresso-me a dizer que não vejo o Natal simplesmente como um momento de lembrança de um acontecimento passado. Muito pelo contrário, é um momento de prepararmos a manjedoura de nosso coração para que o Cristo nele venha fazer Sua morada. Pois Cristo pode nascer mil vezes em Belém, mas se não nascer uma vez em seu coração, irmão leitor, o Mistério da Encarnação não fará sentido algum para você.
O que importa realmente é que, com a sua Encarnação, Jesus infundiu Nova Vida nos Filhos de Deus e fez novas todas as coisas. Enfim, Ele veio cumprir a sublime promessa professada na Fé pelo Profeta Isaías: "um menino nos nasceu, um filho nos foi dado; a soberania repousa sobre seus ombros, e Ele se chama: Conselheiro admirável, Deus forte, Pai eterno, Príncipe da paz" (Is 9, 5). Ou seja, o maior Dom que Nosso Pai poderia ter nos concedido.
E como podemos discernir o sentido espiritual da Encarnação do Verbo de Deus entre os homens?
Cristo é formado em nós. Esta criança, o Conselheiro admirável, Deus forte, Pai eterno, Príncipe da paz, como nos professou Isaías, deve ser cuidado em nós como uma mãe cuida de um recém nascido, até que atinja maioridade e tome as rédeas de todas as coisas que a Ele pertencem.
A partir desta ótica podemos dizer que esta é a verdadeira preparação do Natal: preparar nossa casa (o coração) e nela instalar a manjedoura (um nicho simples, despojado de toda pujança material e orgulho), deixando que no silêncio e recolhimento interior (a Noite silenciosa) Cristo nasça em nós como cumprimento da promessa divina. E todo o universo, tanto na sua dimensão espiritual (os Anjos, a Estrela) quanto na sua dimensão material (os Reis Magos, os pastores) vem para servir o Príncipe recém nascido.
E reitero que não vejo o Natal simplesmente como um momento de lembrança de um acontecimento passado. Muito pelo contrário, é um momento de prepararmos a manjedoura de nosso coração para que o Cristo nele venha fazer Sua morada. E novamente repito: Cristo pode nascer mil vezes em Belém, mas se não nascer uma vez em seu coração, o Mistério da Encarnação não fará sentido algum para você.
Neste sentido, e somente neste sentido, desejo a você um Feliz e Abençoado Natal.
 
Tudo isto tenho dito diante de Deus, dos Homens e dos Anjos, para maior Glória de Deus. Amém, Amém e Amém!
Eugênio Christi

Tags: Natal, Renovação, Novo Nascimento em Jesus Cristo
Mais...

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

O Princípio Espiritual 90/10

De vez em quando, resolvo incluir textos de outras pessoas que acho interessante. Este, por exemplo, recebi de uma amiga por e-mail.

O PRINCÍPIO 90 / 10 - Stephen Covey
Que princípio é este? Os 10% da vida estão relacionados com o que se passa com você, os outros 90% da vida estão relacionados com a forma como você reage ao que se passa com você.
O que isto quer dizer? Realmente, nós não temos controle sobre 10% do que nos sucede. Não podemos evitar que o carro enguice, que o avião atrase, que o semáforo fique no vermelho. Mas, você é quem determinará os outros 90%.. Como? Com sua reação.
Exemplo: você está tomando o café da manhã com sua família.
Sua filha, ao pegar a xícara, deixa o café cair na sua camisa branca de trabalho. Você não tem controle sobre isto. O que acontecerá em seguida será determinado por sua reação. Então, você se irrita. Repreende severamente sua filha e ela começa a chorar. Você censura sua esposa por ter colocado a xícara muito na beirada da mesa.. E tem prosseguimento uma batalha verbal.
Contrariado e resmungando, você vai mudar de camisa. Quando volta, encontra sua filha chorando mais ainda e ela acaba perdendo o ônibus para a escola. Sua esposa vai pro trabalho, também contrariada. Você tem de levar sua filha, de carro, pra escola. Como está atrasado, dirige em alta velocidade e é multado. Depois de 15 min. de atraso, uma discussão com o guarda de trânsito e uma multa, vocês chegam à escola, onde sua filha entra, sem se despedir de você. Ao chegar atrasado ao escritório, você percebe que esqueceu de sua maleta. Seu dia começou mal e parece que ficará pior. Você fica ansioso pro dia acabar e quando chega em casa, sua esposa e filha estão de cara fechada, em silêncio e frias com você.
Por quê? Por causa de sua reação ao acontecido no café da manhã. Pense: por quê seu dia foi péssimo?
A) por causa do café?
B) por causa de sua filha?
C) por causa de sua esposa?
D) por causa da multa de trânsito?
E) por sua causa?
A resposta correta é a E. Você não teve controle sobre o que aconteceu com o café, mas o modo como você reagiu naqueles 5 min. foi o que deixou seu dia ruim.
O café cai na sua camisa. Sua filha começa a chorar. Então, você diz a ela, gentilmente: "está bem, querida, você só precisa ter mais cuidado". Depois de pegar outra camisa e a pasta executiva, você volta, olha pela janela e vê sua filha pegando o ônibus. Dá um sorriso e ela retribui, dando adeus com a mão.
Notou a diferença? Duas situações iguais, que terminam muito diferente. Por quê? Porque os outros 90% são determinados por sua reação.
Aqui temos um ex. de como aplicar o Princípio 90/10. Se alguém diz algo negativo sobre você, não leve a sério, não deixe que os comentários negativos te afetem. Reaja apropriadamente e seu dia não ficará arruinado.
Como reagir a alguém que te atrapalha no trânsito? Você fica transtornado? Golpeia o volante? Xinga? Sua pressão sobe? O que acontece se você perder o emprego? Por quê perder o sono e ficar tão chateado? Isto não funcionará. Use a energia da preocupação para procurar outro trabalho. Seu vôo está atrasado, vai atrapalhar a sua programação do dia. Por quê manifestar frustração com o funcionário do aeroporto? Ele não pode fazer nada. Use seu tempo para estudar, conhecer os outros passageiros. Estressar-se só piora as coisas.
Agora que você já conhece o Princípio 90/10, utilize-o. Você se surpreenderá com os resultados e não se arrependerá de usá-lo. Milhares de pessoas estão sofrendo de um stress que não vale a pena, sofrimentos, problemas e dores de cabeça. Todos devemos conhecer e praticar o Princípio 90/10.
Pode mudar a sua vida!

MEU COMENTÁRIO:
Este princípio se encontra nos Ensinos de nosso Mestre, Jesus O Cristo, embora nem tão explícito assim:
"Não resistais ao mal", Amar ao próximo como a ti mesmo, "Não vos preocupeis com o dia de amanhã", "De que adianta ganhar o mundo inteiro e perder a própria Alma?" 

Tudo isto tenho dito Nele, que é Nosso Porto Seguro, para maior Glória de Deus. Amém, Amém e Amém!
Eugênio Christi
Mais...

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Bolsa Preguiça

Estamos vivendo a era das Bolsas Assistencialistas: Bolsa Família, Bolsa Escola, Bolsa Desemprego. Só falta agora estabelecerem Bolsa Motel, Bolsa Cinema, etc. e tal.
Nada contra os programas de ajuda que o Estado pode fornecer àqueles menos favorecidos até que consigam se aprumar na vida. O problema (e este é um grande problema) é que estas Bolsas estão virando mero assistencialismo. Ou seja, não se estabelecem prazos para o término do benefício. Aí muitos beneficiários acabam preferindo não trabalhar para continuarem ganhando de graça.
Aqui em Brusque houve o caso de um baiano que veio para nossa cidade buscar uma vida melhor e digna. Ele ganhava R$1.200,00 numa fábrica. Acabou voltando rápido para a Bahia, pois lá sem trabalhar e com quatro filhos em idade escolar ele consegue em torno de R$1.500,00.
Aqueles que estabeleceram este programa de Bolsas deviam ter estudado Aristóteles antes. Ele deu uma solução melhor há mais ou menos 2.500 anos atrás. Mas é claro, para quê conhecimento, se até para ser Presidente neste país basta ter carreira em sindicatos?
Para Aristóteles existem dois tipos de justiça: a justiça distributiva e a justiça participativa.
A justiça distributiva consiste em dar a cada um o que é devido; sua função é dar desigualmente aos desiguais para torná-los iguais. Justo é o que se apodera da parte que lhe cabe; é o que distribui o que é devido a cada um. Deste modo, a distribuição justa é a que leva em conta os méritos das pessoas, não se podendo dar o igual para desiguais, já que as pessoas são diferentes. Este tipo de justiça funciona bem quando o equilíbiro entre as classes sociais já existem.
Contudo, quando a distância entre a classe alta e a classe baixa é muito grande, Aristóteles indica a justiça participativa. Ela consiste em igualar os desiguais dando-lhes igualmente os bens; esta função implica afirmar que numa cidade onde a diferença entre os ricos e pobres é muito grande vigora a injustiça. A cidade justa saberá distinguir e realizar a ambos tipos de justiça.
Aí é que se encontra o erro de nosso assistencialismo. Ele não busca este equilíbrio. Aristóteles apregoa que a justiça participativa deve vigorar até que os menos favorecidos consigam se conduzir por conta própria. Ele conhecia melhor a natureza humana do que os esquerdistas de nosso país.
O Socialismo que eles pregam obriga os produtivos a pagar a conta dos preguiçosos. Ou seja, instauram o Bolsa Preguiça. 
N'Aquele que trabalha sempre, para maior Glória de Deus. Amém, Amém e Amém!
Eugênio Christi
Mais...

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

O Crepúsculo dos Videntes

Os leitores já devem ter advinhado (olha a vidência aí!) de que vou falar da  morte do polvo Paul.
Vamos ver as posiblidades de causas para sua morte que devem estar pululando pelo mundo da vida virtual.
Alguns podem pensar que foi obra dos radicais islâmicos, para os quais um polvo vidente se consiste num insulto a Maomé, o grande profeta.
A população evangélica também está na mira. Afinal de contas, um polvo que acerta todas pode desbancar os autores das "profetadas" que angariam vultosas somas em dinheiro. Podem muito bem terem dado um fim no molusco mais famoso do mundo.
Alguns dizem ainda que a causa mortis do bichinho foi porque sobrecarregaram o coitado na época da copa. Vidência exige muita energia, caramba!
Também circula na Net que o polvo morreu quando forçaram-no a escolher entre Dilma e Serra. O que eu interpreto da seguinte forma: o polvo sofreu um estresse muito agudo quando percebeu que o povo brasileiro não tem opção para esta eleição.
Os paranóicos da Conspiração Mundial andam falando que foram os Iluminatti que mataram o polvo, visto que acertando as profecias deste jeito, logo ele alertaria a população contra seus planos.
Por fim o polvo pode ter morrido mesmo porque chegou a sua hora. E ponto final!

Naquele que é Senhor de todos os polvos, para maior Glória de Deus. Amém, Amém e Amém!
Eugênio Christi
Mais...

domingo, 17 de outubro de 2010

A Tradição Galicana

Poucos no Brasil conhecem o Cristianismo Ortodoxo de Tradição Galicana, caminho da Igreja Gaulesa que ainda existe principalmente na França. A Tradição Galicana, por sua vez, é herdeira do Cristianismo Celta, presente nas Igrejas dos primeiros séculos na Gália, Espanha, Suiça, Inglaterra, Escócia e Irlanda. Igrejas onde se priorizava mais a Comunidade dos Cristãos do que as Instituições humanas que na maioria das vezes engessam o agir do Espírito.
O Galicanismo vejo como o Caminho Cristão que mais próximo e fiel está do Cristianismo Primitivo, ao mesmo tempo em que se coloca adequado para o homem contemporâneo.
Tenho para mim que esta via Cristã está mais adequada à idiossincrasia psíquica do brasileiro, que valoriza a expeirência espiritual e mística do indivíduo ao mesmo tempo que a convivência fraterna.
Estou preparando um estudo mais consistente sobre a origem e prática desta tradição, que em breve linkarei aqui.
N'Ele, que é mais que todas as tradições humanas, para maior Glória de Deus. Amém, Amém e Amém!
Eugênio Christi
Mais...

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

A Falácia do PT

À guisa de introdução, é bom lembrar que falácia nada mais é que um raciocínio enganoso, incutido nos textos e nas falas a fim de levar as pessoas incautas ao engano.
Sábado, dia 09/10, no Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo, com a presença de Marco Feliciano, um dos modernos mercadores do Templo, Dilma Rousseff tentou mais uma vez desmentir que seja favorável ao aborto. E acabou emitindo uma falácia. 
Vamos analisar o raciocínio usado:

"Eu como pessoa sou contra o aborto. Porque o aborto é uma violência contra a mulher".
"Agora, eu como presidente da República, não fecharei meus olhos para as milhares ou milhões de mulheres e adolescentes brasileiras que cometem atos extremos que colocam a vida em risco".

Como Filósofo tenho facilidade em reconhecer textos falaciosos. Contudo, não precisa nem ser Mestre em raciocínios para descortinar o que está implícito nesta fala da candidata.
Como pessoa ela é contra o aborto, mas como Presidente ela será a favor porque o aborto é um risco para a mulher.
Quer dizer, ela nem sequer falou em interromper vida de crianças indefesas, simplesmente se preocupa com a mulher.
Analisando o raciocínio cruamente, posso dizer que ele quer dizer o seguinte: eu vou legalizar o aborto. E ponto final.
Convenhamos, os acessores do PT são bons, visto que nem a Dilma e nem o Lula seriam capazes de cometer uma falácia tão sutil quanto esta. Ou pode ser simplesmente uma daquelas "cagadas" lógicas que às vezes as pessoas cometem.

Naquele que é Senhor da Vida, para maior Glória de Deus. Amém, Amém e Amém!
Eugênio Christi
Mais...

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Dilma é a Favor do Aborto Sim

Vejam este vídeo de 2007. Como a Sra. Dilma tem a cara de pau de afirmar que sempre foi contra o aborto? Passem este link adiante e vamos tirar o PT (Partido das Trevas e dos Traidores) de uma vez por todas do poder.
Antes de ver o vídeo abaixo, leia o que ela declarou na revista Marie Claire.
Em abril do ano passado, já candidata oficiosa, Dilma defendeu a legalização do aborto. Não é boato! O futuro do pretérito, a depender do caso, pode ser só o tempo verbal da história reescrita.
Trecho da revista:

MC Uma das bandeiras da Marie Claire é defender a legalização do aborto. Fizemos uma pesquisa com leitoras e 60% delas se posicionaram favoravelmente, mesmo o aborto não sendo uma escolha fácil. O que a senhora pensa sobre isso?

DR - Abortar não é fácil pra mulher alguma. Duvido que alguém se sinta confortável em fazer um aborto. Agora, isso não pode ser justificativa para que não haja a legalização. O aborto é uma questão de saúde pública. Há uma quantidade enorme de mulheres brasileiras que morre porque tenta abortar em condições precárias. Se a gente tratar o assunto de forma séria e respeitosa, evitará toda sorte de preconceitos. Essa é uma questão grave que causa muitos mal-entendidos.



N'Ele, que é o Senhor da Vida sempre, para maior Glória de Deus. Amém, Amém e Amém!
Eugênio Christi
Mais...

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

A Escola do PT

Reporto-me ao que escrevi em meu livro A Postura das Conexões, página 24: O homem excessivamente prático muito cuida da sobrevivência do corpo sem muita preocupação e consciência de ser necessário um alimento para seu espírito. A ele só importa o que é útil às necessidades materiais imediatas. Carlyle, conversando com um homem excessivamente prático, que contestava a importância das idéias, lembrou-lhe que certa vez um sonhador publicara um livro composto somente de idéias, chamado O Contrato Social (Rousseau). Os homens ditos práticos da época riram muito dele. No entanto, a segunda edição do livro foi encadernada no período da Revolução Francesa com a pele daqueles que tinham rido da primeira edição.
Sim, os partidos de esquerda do mundo todo também nasceram de teorias que os fundamentaram. Não são partidos de proveta.
Existiu um anarquista russo do século 19, Mikhail Bakunin (Foto Acima) (1814-1876) que escreveu em suas memórias o que penso ser o pensamento norteador do PT e Cia:

"Assim, sob qualquer ângulo que se esteja situado para considerar esta questão, chega-se ao mesmo resultado execrável: o governo da imensa maioria das massas populares se faz por uma minoria privilegiada. Esta minoria, porém, dizem os marxistas, compor-se-á de operários. Sim, com certeza, de antigos operários, mas que, tão logo se tornem governantes ou representantes do povo, cessarão de ser operários e por-se-ão a observar o mundo proletário de cima do Estado; não mais representarão o povo, mas a si mesmos e suas pretensões de governá-lo. Quem duvida disso não conhece a natureza humana."
E eu acrescento: E nunca foi governado pelo PT.
Tudo isto Nele que é Soberano sempre, para maior Glória de Deus. Amém, Amém e Amém!
Eugênio Christi
Mais...

sábado, 18 de setembro de 2010

A Lamentação do Papa

O papa Bento XVI lamentou neste sábado em Londres que o mundo veja o Evangelho "como um limite à liberdade humana", ao invés de percebê-lo "como a verdade que liberta a mente do homem" e encorajou aos laicos a levar adiante a missão da Igreja. 
Penso eu que se nós Cristãos demonstrássemos que a Verdade de Cristo realmente liberta o Homem das escravidões que ele mesmo se impôs, o mundo já teria se convencido desta vantagem. Porque a liberdade do mundo é uma pseudoliberdade, uma escravidão disfarçada.
Ainda na sexta-feira, o papa se encontraou com outros líderes religiosos britânicos, entre eles o arcebispo de Canterbury, Rowan Williams, que comanda a Igreja Anglicana. O encontro no palácio de Lambeth, em Londres, tem um simbolismo histórico. Até o rei Henrique 8º romper as relações com o Vaticano no século XVI, o palácio abrigava arcebispos católicos. A visita do papa ao local é vista como um gesto de reconciliação entre católicos e anglicanos.
 
Tudo isto tenho dito diante de Deus, dos Homens e dos Anjos, para maior Glória de Deus. Amém, Amém e Amém!
Eugênio Christi
Mais...

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

O Novo Templo de Salomão

De vez em quando surgem homens com projetos megalômanos. E como se não bastasse toda confusão já existente no  meio evangélico, agora vem o Sr. Edir Macedo (às vezes também chamado de Pedir Mais Cedo) querendo construir o Novo Templo de Salomão. 
O Templo teve sua função no Antigo Testamento, como figura do Templo Sagrado que Deus fundou para sua Morada desde o início, que é o próprio Corpo do Homem Deus. Jesus, inclusive, preconizou sua destruição, insituindo um marco divisor de águas, quando disse diante do Templo: “Destruí este templo e eu o reconstruirei em três dias” (Jo 12,19b). Esta frase não foi entendida pelos fariseus da época, tardos em compreender assuntos espirituais. Jesus estava se referindo ao seu corpo que seria morto e depois ressuscitado no terceiro dia. O Templo, local de adoração a Deus e de sacrifícios já não seria mais necessário, visto que o Corpo do Homem Deus seria sacrificado de uma vez por todas.
Contudo, parece que tem fariseu que ainda hoje não consegue ou não quer entender que Deus não mora em templo construído por mãos humanas, conforme encontramos no livro de Atos.
Embora Salomão tinha Sabedoria, caiu feio diante de Deus e dos homens, visto que não temperou a Sabedoria com o Amor. E nós sabemos que o novo Salomão não tem Sabedoria e muito menos Amor! Quanto maior a altura maior o tombo, Sr. Edir!

Naquele que quer morar no Coração dos Homens, para maior Glória de Deus. Amém, Amém e Amém!
Eugênio Christi
Mais...

terça-feira, 14 de setembro de 2010

A Volta à Blogosfera

Havia um ditado na época das navegações que dizia: "Navegar é preciso, viver não". Talvez daqui uns anos alguém poderá dizer: "Blogar é preciso, viver não". Ou ainda seguiremos a regra dos cursos de pós das Universidades Norteamericanas: "publique ou pereça", transformando para "Faça um post ou pereça".
Na verdade o Blog virou uma necessidade para quem pretende mostrar suas idéias. Ou ainda para quem pretende se lançar como escritor e não seja conhecido pelo mercado editorial.
Eu tenho um Blog, reverendoeugenioalgumacoisapontocom, que já estava com 73 seguidores, mas por motivos técnicos acabei estragando o layout dele. Resolvi então criar um outro, inclusive mudando a direção das postagens, ou seja, o antigo Blog versava mais sobre o Cristianismo e Igreja. Este novo Blog versará sobre diversos assuntos além dos citados acima, contudo sempre sob a ótica da espiritualidade cristã. Tanto que o nome deste Blog é Eugênio Christi, significando Eugênio de Cristo, meu nome artístico digamos assim.
Uma outra novidade: Os posts serão sempre breves, facilitando a leitura nestes tempos tão corridos. Raramente escreverei posts mais longos. Ah, apenas para lembrar: eu consegui recuperar o contador do Blog antigo. Assim, as visitas contam a partir de lá. Quero ver se consigo também trazer os 73 seguidores para este Blog.
Boa Leitura!

Tudo isto tenho dito diante de Deus, dos Homens e dos Anjos, para maior Glória de Deus. Amém, Amém e Amém!
Eugênio Christi
Mais...

domingo, 5 de setembro de 2010

Eu Sou um Highlander

Tenho algo a dizer a todos os meus seguidores aqui deste Blog. Por favor leiam até o final, mesmo que levem um susto já nas primeiras linhas. Mas eu até entenderei, pois uma coisa dessas é difícil mesmo de acreditar.
É que eu tenho uma revelação a fazer.
Na verdade, eu sou um tipo Highlander Cristão. Sabe, aquele cara que é quase imortal.
Apresso-me a dizer que em hipótese alguma sou aquele que Jesus disse que viveria até sua volta a este mundo. Não.
Minha quase imortalidade começou trinta anos após a Ressurreição de Nosso Senhor. E começou justamente por causa dela, é o que vim saber bom tempo depois. Não conheci Jesus em corpo físico. Ele me apareceu na juventude quando eu estava em oração.
Embora morasse numa comunidade judaica na Grécia, também não conheci nenhum de seus Apóstolos, apenas seus discípulos imediatos.
Demorei um pouco para conhecer a Doutrina Cristã. Era muito diferente do judaismo praticado na época: mais encantador, mais liberdade em Deus, menos Lei e mais Amor, menos cobrança de donativos e dízimos.
Diferente também do paganismo: não havia templos e nem Sacerdotes cobrando tributos, deuses em demasia e superstições.
Os Cristãos se reuniam nas casas - quando não havia perseguição romana, é claro. Quando a perseguição vinha, nos reuníamos nas Catacumbas. Tempo bom este, viu! Nos reuníamos para cantar os Salmos, ler as Escrituras e partilhar do Corpo e do Sangue de Nosso Senhor em forma de pão e de vinho, mas tudo sem excesso de rituais. Por causa das perseguições tínhamos que nos manter bem unidos.
A Igreja não era lembrada como Casa de Deus, Casa de Oração, Templo. Não. A Igreja era simplesmente a reunião dos Santos, os Filhos de Deus nesta terra. Uma Congregação, uma Assembléia.
O Cristianismo era considerado O Caminho e não uma Instituição humana.
O Cristianismo, com o Poder de Deus realizando maravilhas, se espalhou por várias regiões do mundo conhecido. E os portentados da época começaram a vislumbrar nele uma forma de unir novamente o grande império romano.
A Igreja começou a ser vista por algumas características: Una (unidade na diversidade), Santa (porque Congregação dos Santos de Deus), Católica (destinada a todos os povos) e Apostólica (fundamentada na Doutrina dos Apóstolos). Mas não era Grega, nem Romana, nem Gaulesa. Porque se é Católica, é destinada a todos os povos e não somente a um.
Os grandes da Igreja começaram a fazer acordos com os Príncipes deste Mundo. Começaram a receber títulos honrosos e fazer interpretações da Doutrina Apostólica para agradar os seguidores do paganismo. Começaram a usar os antigos templos pagãos, tirando seus ídolos de barros e colocando outros em seu lugar, mudando o nome dos deuses para nomes dos Santos; ou simplesmente mantinham o mesmo nome, como o caso do deus Dionísio que virou São Dionísio.
A Força do Evangelho de Jesus deu lugar ao Evangelho da força. E a Igreja virou Católica Ortodoxa Grega, Católica Romana. Com o tempo a Igreja Romana quis ter a primazia de tudo. E houve o primeiro cisma.
Mas Jesus não abandonou a sua Igreja. Nela sempre surgiu vez ou outra homens de coragem para alertar o caminho da ruína.
Houve a Reforma. Mas infelizmente a Igreja Romana não quis aceitar as críticas e reconhecer os erros; e os reformadores também não respeitaram o princípio da autoridade, e ocorreu a divisão. Contudo, mantiveram alguns erros do sistema antigo: os templos, por exemplo.
Da Reforma surgiram outras vertentes, que persistem até os dias de hoje. A Força do Evangelho deu lugar ao Evangelho do dinheiro. E aqueles que tinham condições de mudar completamente o rumo da Igreja, fazendo-a voltar ao Primeiro Amor, fizeram o contrário, fazendo-a voltar ao primeiro horror, pois estão cometendo os mesmos erros que a Igreja Romana no Medievo. Vendendo água de Israel, óleo de Israel, lencinhos abençoados, sal grosso, entre outras mercadorias.
A Igreja, não importa se Romana, Grega, Evangélica, ou o que seja, retornou a tudo aquilo que Jesus criticou tanto no judaísmo quanto no paganismo: templos, Sacerdotes cobrando tributos, deuses em demasia, superstições, mercantilismo com os dízimos e a opressão da Lei antiga.
Os anos foram passando e eu vi tudo isto acontecendo. E não consegui fazer nada para mudar esta situação.
Sabe o porquê?
É que eu não sou um Highlander Cristão. Pode ficar tranquilo, isto não passou de uma história de ficção. Embora tenha alcançado a Imortalidade em Cristo, não vou viver para sempre neste corpo material. Mas fiz em Oração uma viagem mental pela história do Cristianismo e não pude ver outra coisa senão o que acabo de relatar. Comentem, discutam, vamos estudar meios de voltarmos ao Primeiro Amor do Cristianismo.
Em Jesus, o Centro da Vida Cristã,
Tudo isto tenho dito diante de Deus, dos Homens e dos Anjos, para maior Glória de Deus. Amém, Amém e Amém!
Eugênio Christi

Palavras Chave: Jesus Cristo, Igreja, Highlander Cristão, Primeiro Amor
Mais...

Jesus: Humano, demasiado Humano

Por muitos séculos, a atenção da humanidade foi focalizada em Jesus Cristo como sendo apenas o Salvador do homem. Adorado como Deus, buscado como nossa única Salvação e Esperança. Contudo, há muito mais nos Evangelhos do que aquilo que os teólogos de plantão descortinam em seus escritos.
Não podemos esquecer que Jesus é a Divindade encarnada com rosto humano. Questão resolvida depois de muitas querelas e heresias, no ano 431 no Concílio de Éfeso: Jesus é humano e divino ao mesmo tempo.
Mas esta grande verdade muitas vezes é esquecida por alguns, visto que nos concentramos mais na divindade de Jesus, em deprimento de sua humanidade. O resultado desta separação nós podemos ver ao longo da história de forma não muito honrosa: é que em muitos momentos o Cristianismo se mostrou desumano em suas atitudes.
Mesmo que as Escrituras não nos revelassem Jesus como a encarnação do Verbo de Deus, analisando-as com muito cuidado íamos descobrir em suas páginas um Jesus Humano, demasiado Humano. E a partir desta Humanidade perfeita de Jesus chegaríamos a descortinar Sua Divindade.
Pois, para conseguir ser tão Humano assim, somente sendo Divino.
Vamos ver, por exemplo, a questão da autoridade de Jesus.
Ele falava como quem tinha autoridade. Muitas vezes Ele também apelava para a autoridade divina presente nos corações de seus ouvintes. É algo novo que acontece com Jesus. Todo o seu ensinamento está baseado no fato de que o próprio Espírito Divino está presente em cada um de seus ouvintes – meretrizes, proscritos da sociedade, homens simples, doutores – desde que sejam Homens de Boa Vontade, poderão ser regenerados pela ação do Espírito Santo.
Ele lança mão de parábolas para ensinar a Dimensão do Espírito às pessoas de sua época e das épocas vindouras.
As parábolas de Jesus dependem do senso comum, desse espírito que recebemos do Criador de modo que podemos conhecer Deus também a partir de nossas humanas experiências.
Mas, enfim, por que alguém não vive de acordo com esse senso comum que compartilhamos com todos os seres humanos e pode nos auxiliar no relacionamento com Deus e os homens?
É porque somos intimidados pela pressão pública, pela opinião pública. Jesus como que insere uma cunha entre o senso comum e a opinião pública. É verdadeiramente uma saída da hipnose coletiva. As pessoas então foram tomadas pelo entusiasmo, que literalmente significa força divina; podiam levantar e caminhar malgrado as dificuldades que apareciam. Era o que ele chamava de o poder da fé.
Outra coisa estupenda e que se esquece frequentemente: Jesus concedia poder aos outros e isto é tido como muito perigoso numa sociedade controlada. Por causa disso se viu em apuros com o poder estabelecido da época, tanto político como religioso.
Nada é mais opressor do que as ficções criadas pelas autoridades de uma sociedade. Porém, nada é mais libertador das opressões do que o senso comum usado e aproveitado de forma correta. É o que Jesus sabia fazer muito bem: usava o senso comum de forma ordenada. O problema é que a maioria das pessoas tem preguiça de pensar de forma lógica e ordenada, tem fobia de usar a reflexão diante de qualquer realidade. Mas nada que um bom estudo e um pouco de força de vontade não resolva.
O Mestre sempre diz: “você pode fazer o mesmo que eu fiz”. "Fareis as mesmas obras que Eu fiz e as fareis maiores ainda".
Mas o poder autoritário sempre procura afastar as pessoas do que o Mestre falou; coloca-o num pedestal distante das pessoas e o contato delas com ele acaba se dando somente via intermediários, via sacerdotes. Isto somente acontece devido à falta de coragem e de ousadia que os homens têm de assumirem sua responsabilidade perante o processo de sua própria caminhada espiritual.
Enfim, Humano desta maneira, só mesmo um ente Divino como Jesus podia ser.

Nele, que foi verdadeiramente Humano, para maior Glória de Deus. Amém, Amém e Amém!
Eugênio Christi

Palavras Chave: Jesus Cristo, Divino e Humano, Demasiado Humano
Mais...

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Saudade do Cristianismo

Tenho saudades do Cristianismo verdadeiro. Aquele verdadeiramente Jesuânico, simplesmente chamado de O Caminho, que transforma o mundo e não se deixa influenciar por ele. Podemos dizer que já vimos o início do fim da Igreja idealizada e instituída por Cristo Jesus. Estamos acrescentando erros e mais erros àqueles que foram cometidos a partir do século III da era Cristã.
Segundo Jon Dee, foi durante o reinado do principe Alexander Serverus, no século III, que um pedaço de terra devoluta foi escolhido por uma congregação como local para construção de um edifício.
O Imperador deu a terra aos cristãos. A partir daí, edifícios públicos -- denomidados Igrejas Cristãs -- passaram a ser erguidos em partes diferentes do império, em cima de terras doadas. Os pagãos nunca tinham podido entender por que os cristãos não possuiam nem templos nem altares. O culto cristão até alí tinha sido mantido no âmbito privado. A casa privada, as catacumbas, o cemitério de seus mortos, abrigavam suas pacíficas congregações.
Para entender por que o Cristianismo deixou de ser o Sal da terra, veja o que escreveu sobre isto o autor da Carta a Diogneto, escrita cerca de 150 anos após a morte de Jesus Cristo:

«No que se refere a nações, línguas ou roupas, os cristãos não se distinguem do resto do gênero humano. Porque eles não vivem em cidades próprias, nem usam um idioma diferente, nem praticam uma vida estranha. O conhecimento que adquiriram não foi proclamado pelo pensamento e pelo esforço de homens inquietos; eles não são os campeões em uma doutrina humana, como são alguns homens. Mas quando se instalam tanto nas cidades gregas como bárbaras, seguem as costumes da terra, da roupa e da comida, e em outros assuntos da vida diária, contudo a condição de cidadania que eles exibem é maravilhosa e notavelmente estranha. Vivem em seus países, mas simplesmente como viajantes.
Compartilham a vida de cidadãos, e acolhem grupos de estrangeiros. Toda terra estrangeira é para eles uma pátria, e toda pátria uma terra estrangeira. Eles se casam como todo mundo faz. Fazem nascer suas crianças mas não as descartam como alguns fazem. Oferecem uma mesa comum mas não uma cama comum. Existem na carne, mas não vivem pela carne. Gastam a existência deles na terra, mas a cidadania deles está no céu.
Obedecem as leis estabelecidas, mas em suas próprias vidas superam essas leis.
Amam todos os homens, e por todos são perseguidos. São desconhecidos, e são condenados. São postos à morte, e ganham vida nova. São pobres, e enriquecem a muitos. Falta-lhes tudo, e tudo tem em abundância. São desonrados, e a desonra deles se torna a glória deles. São insultados, e são justificados. São abusados, e eles abençoam. São ofendidos, e respondem com honra. Fazem o bem, e são castigados como malfeitores; e no castigo deles eles se alegram como ganhassem vida nova com isso. Os judeus guerreiam contra eles como estranjeiros, e os gregos os perseguem; e por mais que eles sejam odiados não dão nenhum espaço à inimizade.
Em uma palavra, assim como a alma está no corpo, os cristãos estão no mundo. A alma se espalha por todos os membros do corpo, e os cristãos através de todas as cidades do mundo. A alma habita no corpo, mas não é o corpo. Os cristãos habitam no mundo, mas não são do mundo» (Carta a Diognetus, 5:1-17; 6:1-4).

Naquele que fundou sua Igreja pura como devia ser, para maior Glória de Deus. Amém, Amém e Amém!
Eugênio Christi
Palavras Chave: Verdadeira Igreja de Cristo, Cristianismo Primitivo, Templo Pagão
Mais...

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Jesus agora está no Twitter

Um pouco de crítica com Humor não faz mal a ninguém, não é mesmo?
Eu penso que a maioria das pessoas que dizem seguir a Jesus, não importa em qual denominação, na verdade estão seguindo um espectro, um fantasma, uma ilusão daquilo que acham que é Jesus, e não o Jesus real e verdadeiro.
Ou seja, estão seguindo um Jesus virtual. Assim sendo, para estas pessoas uma boa saída pode ser seguí-lO pelo Twitter. Inclusive com a chance de fazer orações em 140 caracteres.
Então aqui vai o nick para os interessados: @JesusCristo
Palavras Chave: Jesus no Twitter, Jesus Virtual, Jesus Real
Mais...

ADQUIRA O LIVRO

ADQUIRA O LIVRO

Quem sou eu

Minha foto

Eu Sou autor do livro O Poder Espiritual da Sua Mente. Celebrante de Casamentos. Gosto de partilhar temas inteligentes. Instrutor Espiritual e Motivacional, gosto de ler e escrever. Filósofo, Escritor, Palestrante.
 
2009 Template Costumizavel Slide | Templates e Acessórios